domingo, 12 de fevereiro de 2017

Cyprien de Pwilrie


Rrrrrespeitável Público!

Depois de tantas histórias sobre magos e Magia, chegou a vez de falarmos de um artista. Aliás, um "senhor artista": Cyprien de Pwilrie, o mais famoso saltimbanco de Athelgard, autoproclamado "Mestre das Sete Artes".

Cyprien pertence a um arco de histórias diferente do que é protagonizado por Anna e Kieran, mas seus caminhos se encontram em alguns momentos. Tomas, o mestre de fantoches da Ala Violeta, é um velho amigo de Cyprien, e os dois se correspondem com regularidade, combinando inclusive um reencontro que se dará alguns anos após os acontecimentos narrados na trilogia já publicada (vai ter conto narrando como foi!). Além disso, Kieran e Cyprien têm um amigo em comum, o Stávro, que aparece em Pão e Arte - livro protagonizado por Cyprien e seu aprendiz Zemel, publicado em 2012 pela Escrita Fina (hoje Zit) - e também no segundo livro da série do Castelo, A Ilha dos Ossos.

Cyprien aparece também na novela O Jogo do Equilíbrio, que se se passa num momento complicado de sua vida. Viúvo, com um filho pequeno, uma mulher exigente e ciumenta e muitas dívidas, ele terá, literalmente, que fazer malabarismo para dar conta de todos esses problemas e ainda se livrar de um rival.

A história que começaremos a contar aqui, a partir do próximo post (ainda esta semana), mostra nosso herói na juventude, quando o saltimbanco, pouco mais que um aprendiz, começava a despontar como um futuro guerreiro na causa pelos direitos de seu povo. Espero que vocês gostem!

Para saber mais sobre a construção do personagem, clique aqui.

Ilustração de Cyprien por Angela Takagui.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

O Último Dragão de Athelgard



Pessoas Queridas,

Fevereiro chegou trazendo uma novidade: o conto "O Último Dragão de Athelgard", no qual o protagonista é Grimmagauhr, habitante da Ilha Interior do nosso universo. Com ele contracenam os elfos que vivem nessa ilha (beeeem diferentes de Hillias, Thalia, Zendak e outros que conhecemos), uma tribo de elfos caçadores, que vive no norte, e o jovem mago Thiers de Pwilrie, discípulo de... vocês só saberão quando lerem!

O conto faz parte da nova versão do e-book da coletânea Dragões e está disponível também em versão solo, por um precinho bem camarada, como aliás toda a Coleção Contos do Dragão.

Espero que vocês gostem! :)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Ana Lúcia Merege: Uma Aventura Editorial

      As fotos podem não estar muito boas, mas esses são os cadernos que mantenho desde 2002, com o título coletivo Ana Lúcia Merege: uma aventura editorial. Neles registro tudo que aconteceu desde que decidi me mexer para fazer acontecer minha carreira literária, nem que fosse de forma discreta e modesta. caderninhos.



        
        Nesses cadernos registrei os primeiros passos da criação do blog A Estante Mágica de Ana, que existe desde 2002, os contatos com editores, a interação com escritores no antigo Orkut, as primeiras participações em coletâneas, os livros independentes, os contratos; e também as palestras, os lançamentos, os encontros, as Primaveras Literárias e Bienais. Não é uma carreira assim tão movimentada, por isso vários anos cabem num caderno. O terceiro começa agora, em 2017.



         Talvez vocês achem que não é grande coisa, mas para mim esses cadernos significam muito. É o registro de quanto trabalhei e me empenhei para fazer minha carreira acontecer. Então, quando sinto desânimo ou duvido de mim, olho pra eles e vejo o longo caminho que já percorri e quanta coisa boa pode ainda haver pela frente.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Medieval no Kindle para Samsung


Pessoas Queridas,

No mês de janeiro, "Medieval", a coletânea que organizei com o Eduardo Kasse, pode ser baixada gratuitamente pelos leitores de Kindle para Samsung. Se vocês estão entre eles, aproveitem!

Cliquem no Blog da Editora Draco para saber mais detalhes e aproveitem a leitura. Em breve estarei aqui com novidades!

sábado, 31 de dezembro de 2016

domingo, 27 de novembro de 2016

A Grande Noite das Sagas - Epílogo


      -- Andi, você fez uma coisa fabulosa! – exclamei, parando de tocar e batendo palmas com entusiasmo; a audiência foi atrás, e os aplausos quebraram a catarse, de forma que o garoto se desgrudou dos amigos e me olhou com o rosto lavado de lágrimas. – Desde nossos primeiros encontros, quando quase era preciso obrigá-lo a falar, até esta noite, na qual contou uma história que mexeu desse jeito com todos... Como você mudou!
       -- Graças a você – disse ele, com a voz embargada. – E a meus amigos, e aos outros mestres, e à Escola de Artes Mágicas. E Mestre Kieran, o senhor estava certo – acrescentou, dirigindo-se a meu marido, que ostentava seu famoso sorriso torto. – Eu tinha mesmo que enfrentar esses demônios e dizer a eles que sou mais forte. E agora digo a vocês o que vou fazer: amanhã cedo vou escrever à minha família pedindo que venham me buscar, não para voltar a Kalket, mas para fazer uma visita a Hyldor em seu solar nas montanhas. Vou contar a ele o que aconteceu e encorajá-lo a cantar diante de um público. Posso até estar no palco ou na arena com ele, como Mestra Anna estava aqui comigo. E se ele não quiser, se não acreditar em si mesmo, não vou me sentir culpado nem deixar que isso atrapalhe mais a minha vida. Vou voltar a ser o Príncipe, e, quem sabe? Talvez um dia até o Rei das Canções.
      -- Muito bem, garoto! – exclamou Urien, e várias taças e vivas se ergueram na audiência. Era o momento de entrar mais uma vez em cena, mas Finn tomou a iniciativa, agradecendo pelas ótimas histórias que Andi e eu tínhamos contado juntos. Também pela presença de todos, uma vez que a noite ia avançada, e muitos já mostravam disposição de se recolher ou partir. Gurion, o intendente, entrou então em cena, oferecendo hospedagem para os visitantes que preferissem pernoitar no Castelo, e as pessoas estavam começando a se mexer quando, inesperadamente, Camdell bateu com uma colher numa taça de bronze, solicitando a atenção de todos.
      -- Caros amigos, queridos aprendizes, não posso deixar que se despeçam sem dizer algumas palavras, ainda mais depois do que presenciamos esta noite – disse ele, visivelmente emocionado. – Em nossa Escola, a Magia costuma despertar através da Arte, mas hoje vimos que o inverso também acontece: que a Magia trouxe de volta a voz e as canções que haviam se calado no coração de um menino. Não sei se Andi continuará conosco ou se voltará para a escola bárdica, mas uma coisa eu sei e digo com segurança: não apenas o seu propósito, mas o meu e o desta escola, foram reafirmados nesta Grande Noite de Sagas. Pela Magia e pela Arte!
      -- Pela Magia e pela Arte! – bradaram todos, erguendo as mãos e as taças; o estrondo de vozes que brindavam logo foi emendado pelas primeiras estrofes da Canção do Mago Violeta, uma espécie de hino da Escola de Artes Mágicas, e a noite terminou em meio a um coro de pessoas que cantavam abraçadas, tocadas pela emoção das histórias e, em alguns casos, pela boa cerveja e vinho que não tinham deixado de correr.
        Mais tarde, depois de eu ter abraçado cada um dos presentes e de ter ouvido todo tipo de comentário sobre os meus dotes como alaudista -- quase todos piedosos, felizmente –, Kieran e eu voltamos ao aconchego da nossa torre, onde acendemos a lareira e nos abraçamos também. Eu queria fazê-lo admitir que tinha articulado tudo aquilo com Urien – que eles tinham me feito de boba, como Theoddor fizera com Netta, décadas atrás --, mas sabia de antemão que Andi não podia fazer parte de uma trama como aquela, exceto talvez de forma involuntária, como no caso de Hyldor o Belo. Tanta emoção e tanta luta contra os próprios receios não podiam ter sido calculadas. Kieran, porém, continuou a afirmar que não houvera qualquer entendimento com o Mestre de Música para aquela noite; ele apenas lhe revelara saber que eu estava tendo aulas de alaúde, já fazia um bom tempo, e Urien dissera que eu estava indo bem e que gostaria de me ver tocar diante de alguém além dele mesmo.
      -- Não pensamos numa plateia tão grande, nem falamos sobre isso hoje, mas a situação de Andi veio a calhar. Foi importante você estar lá com ele – disse Kieran.
      -- Você também – repliquei. – Ele gostou da ideia de lutar contra os demônios interiores. E teve forças para isso, mesmo sendo tímido.
      -- Sim. Eu me surpreendi com a história dele. Já tinha percebido que o garoto tem uma vontade muito forte, mas o que ele fez em Kalket mostra que o Dom é bem mais poderoso do que pensava. Talvez eu devesse... Mas não. – Sacudiu a cabeça, afastando seus próprios desejos. – Se ele precisa falar com o tal Hyldor para ir em frente, que fale, e se precisa voltar para a escola bárdica, que volte. Esse é mesmo o caminho que deve seguir. Só não duvido de que a Magia vá alcançá-lo mais à frente, como aconteceu com Lara.
-- E comigo – falei; ele sorriu, supondo que eu estivesse brincando, mas o encarei tranquilamente e com olhos sérios. – O que Camdell disse no fim é uma verdade para mim também. Aqui reafirmo todos os dias o meu propósito, que é partilhar histórias, e vejo a Magia acontecer através delas. E hoje estou especialmente feliz, pois muita gente esteve aqui e vai levar consigo um pouco dessa Magia para suas vidas.
      -- É verdade – disse ele, com um suspiro. – E ouvir isso de você me faz supor que esta Noite de Sagas não será a última. Na verdade, me arrisco a dizer que teremos outra em breve. Estarei errado?
      -- Talvez na próxima lua – respondi, e franzi a testa. – Mas eu pensei que você tinha parado de ler meus pensamentos.
      -- E eu parei – Kieran garantiu, afastando uma mecha de cabelo que me caíra no rosto. O fogo tremulou, realçando o brilho em seus olhos, e eu fechei os meus enquanto ele me abraçava, devagar, seus lábios roçando minha orelha para sussurrar as palavras que não dissera a mais ninguém, em toda a sua vida.
      E elas terminaram de tecer o encanto que me envolvera e transformara durante aquela Noite de Sagas.

*****

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Draco no Prêmio Argos


Pessoas Queridas,

Parece que nunca terminam as notícias legais sobre a Editora Draco. Pois bem, ela está concorrendo em todas as categorias do Prêmio Argos, conferido pelo Clube de Leitores de Ficção Científica! E nosso editor ainda vai ganhar um prêmio especial pelo incentivo à LitFan brasileira!

Cliquem no blog da Draco e confiram a lista de indicados. E não se esqueçam de visitar a Amazon e adquirir nossos e-books com superdescontos na Black Friday da Amazon!